São Paulo, outubro de 2019 – Em 5 de outubro, aconteceu em São Paulo a segunda edição do Fórum de Oncologia Astellas, evento promovido pela Astellas Farma Brasil com o objetivo de discutir casos clínicos de câncer de próstata avançado, debater os avanços das políticas públicas em pesquisa clínica bem como o acesso e a sustentabilidade do sistema de saúde, público e privado. “Neste ano, trouxemos uma discussão cujo tema central foi a expansão do cuidado ao paciente. Além de falarmos das atualizações científicas, também falamos de custos, ampliação da rede de acesso e inovação na área da saúde”, explica Daniella Kremer, gerente de produtos da divisão de oncologia da Astellas Farma Brasil.

O fórum reuniu especialistas brasileiros e estrangeiros, entre eles Joshi Alumkal, professor do departamento de oncologia médica geniturinária no Rogel Cancer Center, em Michigan, Estados Unidos, e chefe da divisão de pesquisa na área de hematologia-oncologia. O médico participou de três painéis durante o fórum, discussão de casos clínicos e uma palestra sobre a jornada e a perspectiva do paciente
com câncer de próstata.

“Tive, novamente, a oportunidade de compartilhar minha experiência, também foi um momento para aprender muito com um excelente grupo de especialistas, incluindo o Dr. Joshi Alumkal. É um prazer ver como podemos melhorar o acesso a novos tratamentos contra o câncer, um problema crônico e embaraçoso no Brasil”, disse o urologista Murilo Luz, diretor do programa de cirurgia robótica em oncologia e urologia da Rede D’or São Luiz, em São Paulo.

O Fórum de Oncologia Astellas 2019 foi um evento que permitiu uma troca de experiência enriquecedora. É uma oportunidade para médicos e gestores de saúde conhecerem questões individuais e coletivas que podem ampliar o conhecimento e contribuir com visões que ultrapassam a atualização científica.

 

Sobre câncer de próstata

O câncer de próstata é o segundo câncer mais comum em homens em todo o mundo1. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que em 2018 o número de novos casos de câncer de próstata no Brasil é de 68.220, com uma taxa de incidência ajustada de 66,82 por 100.000 homens.

O CPRC refere-se ao subgrupo de homens no qual a doença progride apesar dos níveis de testosterona de castração (isto é, menos de 50 ng/dL)2. O CPRC não metastático refere-se à ausência de evidência clinicamente detectável de disseminação do câncer para outras partes do corpo (metástases), quando há um nível crescente do antígeno prostático específico (PSA)3. Muitos homens com CPRC não metastático e um nível de PSA rapidamente crescente desenvolvem CPRC metastático4.

  1. American Cancer Society. Global Facts & Figures. http://www.cancer.org/content/dam/cancer-org/research/cancer-facts-and-statistics/global-cancer-facts-and-figures/global-cancer-facts-and-figures-3rd-edition.pdf. Accessed January 10, 2018.
  2. Urology Care Foundation. Advanced Prostate Cancer Patient Guide. www.urologyhealth.org/educational-materials. Accessed February 16, 2017.
  3. Luo J, Beer T, Graff J. Treatment of Non-metastatic Castration Resistant Prostate Cancer. Oncology. April 2016, 30(4):336-344.
  4. Smith MR, Kabbinavar F, Saad F, Hussain A et al. Natural history of rising serum prostate-specific antigen in men with castrate nonmetastatic prostate cancer. J Clin Oncol 2005; 23: 2918–2925.